Blog

05/04/2016

A importância da análise pré-contratual dos seus fornecedores

A importância da análise pré-contratual

Gerenciar terceiros não é tarefa simples, pois demanda investimento de recursos humanos e financeiros, requer tempo e nem sempre é possível lidar com fornecedores colaborativos.

No entanto, mesmo sendo uma atividade complexa, a gestão de terceiros não deve ser desconsiderada pelo contratante, pois isso pode trazer uma série de consequências desagradáveis para o seu negócio.

Entre elas: demandas trabalhistas, possíveis autuações pela fiscalização do trabalho, passivos e imagem negativa perante a sociedade.

Uma Gestão de Terceiros eficaz precisa estar atenta a todos os passos dos seus fornecedores e, quando o cenário é de instabilidade econômica, a atenção deve ser redobrada, tendo em vista a quantidade de empresas que não têm conseguido se manter e têm pedido a recuperação judicial.

O contratante deve buscar manter relações de parceria com suas contratadas, mas, para que determinado fornecedor possa ser considerado como um parceiro, é necessária uma avaliação inicial da empresa, buscando encontrar evidências de que esta possui capacidade de atender não apenas requisitos técnicos, ligado às especificações contratuais, como também identificar se o fornecedor está numa condição de honrar com suas obrigações trabalhistas, fiscais e do mercado de créditos.

 

Dessa forma, a gestão de terceiros começa antes mesmo da contratação do fornecedor que precisará passar por uma espécie de triagem, antes de ter contrato assinado e antes que sejam iniciados os efeitos jurídicos desse.

 

Eis então o intuito da Análise Pré-contratual, ou seja, analisar a condição do potencial fornecedor antes do fechamento de contrato, visando à admissão apenas daqueles que mostrarem um índice mínimo de regularidade perante suas obrigações legais.

 

Análise Pré-contratual

A importância da análise pré-contratual na contratação de fornecedores

A Análise Pré-contratual é uma ferramenta de auxílio à gestão e vem sendo amplamente recomendada, pois proporciona maior segurança na escolha de fornecedores, gerando um ranking com a reputação das empresas, bem como um índice de risco que esta representa.

Os insumos dessa análise estão ligados aos documentos comprobatórios das diversas responsabilidades para com o fisco:

Credores

  • Certidões negativas e certificados de regularidade
  • Consulta a SPC/SERASA
  • Análise de indicadores contábeis

 Trabalhadores

  • Certidões negativas e de feitos trabalhistas

Documentações de formalização da empresa

  • Cartão CNPJ
  • Alvarás
  • Contrato Social
  • Análise financeira da empresa
  • Nível de dependência econômica e outras obrigações acessórias.

 

A gestão que dispõe desse tipo de mecanismo de avaliação prévia possui maior conhecimento a respeito dos seus fornecedores e consegue ter um ótimo método para julgar se o grau de risco envolvido na celebração de contrato com determinada empresa é aceitável ou não, principalmente considerando o viés trabalhista, onde o tomador pode até vir a arcar com todas as verbas e encargos oriundos da terceirização.

Essa ferramenta ajuda a evitar surpresas desagradáveis.

 

É importante lembrar que a prevenção sempre é o melhor caminho: uma empresa que não cumpre com suas obrigações pode ser evitada como fornecedor, já um fornecedor inadimplente muitas vezes não pode ter seu ônus evitado.

 

Leia também Em tempo de crise, foco nos fornecedores.

Contabilidade, Controles Internos ,
SWITCH THE LANGUAGE