Blog

15/02/2016

Como criar um Comitê de Terceirização em sua empresa

Como criar um Comitê de Terceirização em sua empresa

Para que todos possam participar das decisões referentes a Gestão de Terceiros, uma boa prática é a criação de um Comitê de Terceirização, com um responsável por cada setor.

 

A qual setor deve se reportar a Gestão de Terceiros?

Essa é uma pergunta que costumamos ouvir bastante:

“Quem deve ser o dono do projeto de Gestão de Terceiros?”.

 

Em nossa experiência, já vimos diversas situações que costumam dar um bom resultado, como no Jurídico, RH, Suprimentos, Auditoria, Financeiro e até no Contas a Pagar.

Na verdade, não há uma receita de bolo que podemos compartilhar, cada organização possui sua estrutura e cultura bem definidas que influenciarão diretamente no setor responsável por esse controle.

 

Como criar um Comitê de Terceirização em sua empresa? No blog da Benhoeft

Tem que ter um dono!

Todavia, o que mais reforçamos é que precisa ter um dono! Não importa qual seja o setor e a quem esteja vinculado, mas um setor mais estratégico deve ser o dono do projeto e acompanhar de perto os riscos, os indicadores, os fornecedores e definir ações que possam mitigar riscos.

 

Como criar um Comitê de Terceirização em sua empresa?

Por que criar um Comitê de Terceirização?

O controle dos terceiros costuma se envolver com diversos setores da organização e quando uma ação é tomada, certamente impactará, cedo ou tarde, em todas as áreas da organização.

Por exemplo, se o Financeiro decide bloquear o pagamento de um fornecedor estratégico que possui impacto direto na operação, o serviço pode parar e o responsável pela operação será impactado sem aviso prévio, o Jurídico pode ser notificado judicialmente ou aumentar o volume de ações por falta de pagamento de verbas, o controle de catracas pode ser impactado com alguma greve em frente à unidade, e assim por diante.

 

Como criar um Comitê de Terceirização em sua empresa, veja as dicas no blog

Conclusão

Por isso, é importante que assuntos críticos referente aos fornecedores sejam discutidos com todas as áreas envolvidas.
Não precisa de muito, mas um representante de cada setor e um encontro mensal são suficientes para levar à mesa os pontos mais relevantes, discutir os riscos, as ações e definir responsáveis.

Assim, todas as áreas poderão externar seus receios e tomarem decisões bem alinhadas.

 

Veja também no blog, o nosso artigo sobre Em tempo de crise… Foco nos fornecedores para o tema Gestão de Risco de Terceiros.

Controles Internos, Trabalhista , ,
SWITCH THE LANGUAGE