fbpx

Blog

06/04/2021

A Importância da Gestão de Terceiros na América Latina

Atualmente, o mercado brasileiro vem ampliando muito o leque para a terceirização dos serviços.

O Brasil iniciou a terceirização em 1990, com a inovação tecnológica empresarial e reestruturação produtiva, e foi se potencializando ao longo dos anos, mas em 2017, com a regulamentação da Lei da Terceirização, fez aumentar ainda mais esse tipo de contratação. Com o crescimento deste serviço, percebemos um aumento muito grande no risco que envolve este tipo de mão de obra. Isso fez crescer muito a necessidade da Gestão de Terceiros e Fornecedores nas empresas que contratam serviços terceirizados.

Nas últimas quatro décadas, os países da América Latina vêm flexibilizando as suas Legislações Trabalhistas para utilizarem esse tipo de contratação. Mas nos últimos 3/5 anos, com o aumento da necessidade deste serviço, atrelado aos investimentos que o nosso continente vem recebendo, estamos percebendo uma dificuldade muito grande das empresas contratantes de realizarem o controle dos prestadores terceirizados. Com isso, o risco trabalhista vem crescendo muito, devido a falta do controle da documentação trabalhista e previdenciária fora do nosso país.

A terceirização na América Latina

Alguns estudos realizados mostram que a terceirização na América Latina começou com o Chile, a partir de 1970, mas a expansão se dá nos anos 80 com o Plano Laboral de 1979 e o Código de Trabalho.

Na década de 80, o Uruguai iniciou o processo de terceirização, com foco no serviço de transporte rural e serviços florestais, mas com a transformação dos outros países, nos anos 90, começou a expansão deste tipo de contratação.

Na Colômbia, a partir da criação da Lei 50 de 1990 (Código do Trabalho), abriu a possiblidade para a subcontratação e, com isso, começou a ampliação da terceirização.

O México começou um regime neoliberal e restruturação produtiva na década de 90, mas a consolidação deste serviço iniciou-se fortemente na década de 2000. Em 2012, o presidente Felipe Calderón iniciou a reforma da Lei Trabalhista, e com essa modificação incluiu o regime de subcontratação. Todo esse processo foi concluído e iniciado no governo de Enrique Peña Nieto, presidente que assumiu, após Felipe Calderón.

Com todo esse cenário de modernização e ampliação da terceirização nos países da América Latina, veio junto a obrigação de controle das empresas terceirizadas. Conforme o tempo foi avançando, cada país foi ajustando as suas legislações e aumentando a responsabilidade dos contratantes para o monitoramento destes prestadores. Muito disto foi pensando no cenário de precarização na prestação do serviço, direitos trabalhistas entre outras situações que poderiam acontecer, sem a gestão das empresas terceirizadas.

Pensando neste cenário a Bernhoeft está expandindo a sua expertise para atuar fora do Brasil e começar a atender empresas da Américo Latina. Uma vantagem desses países, hispanohablantes, é que legislação trabalhista e gestão desta documentação, é menos exigente que o Brasil. O nosso cenário exige um controle mais detalhado e análise que envolve o pagamento de todos os encargos, salários e benefícios de acordo com cada atividade. Em contatos que já iniciamos com empresas de fora do Brasil, percebemos que não é exigido um controle tão profundo e, com isso, faz com que o controle e gestão desses fornecedores se torne mais fácil.

Esperamos que com esse primeiro contato, através deste blog, possamos ajudar os nossos parceiros e futuros parceiros a realizarem um controle de excelência de todos os prestadores terceirizados, nos moldes que realizamos no Brasil.

Somos a maior empresa de Gestão de Terceiros do Brasil, pioneira na Prevenção de Riscos Trabalhistas e Gestão de Riscos com Terceiros. Realizamos desde 2003 uma minuciosa avaliação dos riscos envolvidos na relação entre empresas tomadoras e prestadoras de serviços.

Se entender que precisa de apoio nesse sentido, clique aqui para entrar em contato conosco.

Autor: Elisvan Vieira de Sousa | Consultor Trabalhista da área de GRT
Gestão de Terceiros , , ,
SWITCH THE LANGUAGE