Blog

15/05/2018

Sinais que podem indicar um fornecedor crítico para a contratação ou renovação contratual

Possuir fornecedores “saudáveis” do ponto de vista financeiro, para futuras contratações e/ou renovações contratuais, reduz a probabilidade de ocorrência de riscos derivados do não cumprimento de obrigações junto aos trabalhadores terceirizados. É extremamente recomendável ao tomador dos serviços possuir informações estratégicas sobre os seus fornecedores no que diz respeito a sua situação financeira para que possíveis passivos sejam previamente evitados.

A melhor forma de mitigar riscos consiste em buscar eliminar o risco na sua origem, por isso todo novo possível fornecedor deve ser submetido ao processo de análise financeira, para que a contratante possa analisar dados e documentos dos fornecedores e qualificá-los de acordo com seu nível de criticidade, e por fim decidir pela contratação ou não de uma empresa.

Para determinar a criticidade das empresas prestadoras de serviços devem ser considerados aspectos como: valor do contrato e da Folha de Pagamento, fatores de risco da empresa/setor, volume de trabalhadores, etc.

Uma avaliação da situação financeira de um fornecedor requer a consideração de uma vasta gama de informações, que precisam ser analisadas e validadas com o padrão aceitável para que seja possível conceituar a sua condição, nesse sentido existem fatores que permitem antever fornecedores com desempenho financeiro não ideal e que poderão, se contratados ou mantidos, trazer passivos para a contratante.

Principais pontos a serem analisados para contratação ou renovação

  1. Atrasos nos pagamentos das obrigações;
  2. Parcelamentos de tributos simultâneos e reincidentes;
  3. Processos Judiciais para o não recolhimento de tributos e reclamações trabalhistas;
  4. Certidões positivadas junto à União, Estado e Município;
  5. Pendências e restrições financeiras e comercias;
  6. Indicadores financeiros como nível de endividamento e solvência (Balanço e DRE);
  7. Grau de dependência financeira;
  8. Inadequação do capital social à quantidade de trabalhadores.

 

Considerado todos esses aspectos que podem revelar a situação financeira do fornecedor, é indispensável a classificação dessas empresas, com base na sua análise de riscos, incluindo ações a serem realizadas em cada possível circunstância. Concluída a avaliação detalhada das informações e documentos das empresas, a área de suprimentos avançará a contratação com aquelas que representarem menor grau de risco.

Tendo em vista o contexto bastante mutável em que todas organizações estão inseridas, bem como a possibilidade de desalinhamentos internos dessas, o processo de análise financeira deve prever a avaliação de renovação do parecer de risco de todos fornecedores, anualmente, garantindo a manutenção de informações atualizadas, sendo essas análises de renovação condicionadas a frequências variáveis de acordo com o nível de criticidade do fornecedor.

Em todo esse processo torna-se fundamental contar com uma equipe capacitada e apta a avaliar os aspectos que permitam a identificação de riscos, um sistema que utilize ferramentas de Gestão Eletrônica de Documentos (GED), além de viabilizar relatórios após a verificação dos documentos recomendando ou não a contratação.

Na Gestão de Riscos com Terceiros a Bernhoeft submete as empresas avaliadas a um detalhado processo de avaliação da situação financeira, considerando os principais pontos aspectos que repercutem na saúde financeira empresarial das terceirizadas, visando possibilitar uma melhor tomada de decisão sobre contratação pela empresa tomadora de serviços.

 

situação financeira

Gestão de Terceiros
SWITCH THE LANGUAGE